background img

Mosquitos Geneticamente Modificados: preocupações atuais

O Brasil é o único país do mundo que autorizou o uso comercial dessa tecnologia. Até o momento não foi comprovado se ela de fato reduz a dengue e se apresenta riscos para a população e o meio ambiente. Este livro trata dessas preocupações.

A empresa inglesa de biotecnologia Oxitec desenvolveu uma cepa geneticamente modificada do mosquito Aedes aegypti para produzir crias que morrem prematuramente. A empresa já liberou um grande número destes mosquitos no Brazil, nas Ilhas Cayman e na Malásia em experimentos que visam reduzir a população adulta do Aedes aegypti, o qual é responsável por transmitir a doença tropical febre da dengue.

Embora a Oxitec continue a promoção de sua tecnologia patenteada, este artigo aponta uma série de preocupações e questões não respondidas em torno ao uso do Aedes aegypti geneticamente modificado (GM) como forma de controle de mosquitos. A tecnologia pode não ser particularmente efetiva em suprimir as populações de mosquitos e pode inclusive, em especial nos casos de eficácia limitada, piorar o problema da dengue. Existe ainda incerteza sobre o quanto algumas crias dos mosquitos GM sobrevivem até a idade adulta. De maneira geral, os potenciais efeitos adversos desta tecnologia não estão ainda completamente compreendidos, dadas as complexas interações nos ecossistemas entre o Aedes aegypti, outras espécies de mosquitos, os vírus que eles carregam e os humanos que eles picam.

Estas preocupações não foram apropriadamente consideradas antes dos experimentos de campo, para os quais as avaliações de risco e o processo de consulta foram seriamente inadequados. Sem um exame compreensivo dos riscos e benefícios, é questionável se os objetivos de controle da dengue e do mosquito estariam atendidos da melhor forma recorrendo aos mosquitos GM da Oxitec.

* A distribuição do livro é gratuita. Caso você more no Rio, é preciso buscar um exemplar na Fundação Heinrich Böll (Rua da Glória, 190 - apto 701), caso contrário, enviamos pelos correios gratuitamente. Por favor, nos informe um endereço com CEP através do email: info@br.boell.org

Caso queira fazer o download gratuitamente em PDF clique aqui

Sumário:

Capítulo 1. Introdução 1

Capítulo 2. A liberação de mosquitos geneticamente modificados eliminará as populações silvestres de mosquitos? 4

Capítulo 3. A erradicação da população de mosquitos reduzirá a febre da dengue? 11

Capítulo 4. Impactos do antibiótico tetraciclina 16

Capítulo 5. Impactos ou alterações em outras espécies de mosquitos 20

Capítulo 6. Introdução de novas cepas de mosquitos e transmissão de outras enfermidades 24

Capítulo 7. Pode-se desenvolver uma resistência, e, portanto mais mosquitos geneticamente modificados iriam sobreviver e se reproduzir, ou a capacidade física dos mosquitos geneticamente modificados se reduz com o tempo? 27

Capítulo 8. Compatibilidade com os métodos de controle tradicionais 30

Capítulo 9. Os mosquitos geneticamente modificados poderão picar as pessoas ou causar danos a outros seres? 32

Capítulo 10. Rastreabilidade e monitoramento 34

Capítulo 11. Avaliar os impactos potenciais das liberaçoes em um sistema complexo 36

Capítulo 12. Regulação, consentimento e movimentos transfronteiriços 39

Capítulo 13. Alternativas 57

Capítulo 14. Conclusões 61

Notas 65

Fontes: Pratos Limpos , Heinrich Böll Brasil


0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Curta-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Assine os Feeds Entre em contato