background img

Wikipédia: Era uma vez a enciclopédia livre

Não é de hoje que a Wikipédia brasileira (ou lusófona, como alguns de seus “administradores” gostam de chamar) está se tornando cada vez mais um veículo para propagar desinformação e servir de arma ideológica para o governo.

Muitos dos seus “editores” e “administradores” (ou seja, pessoas com o poder de modificar ou até mesmo excluir uma publicação) ou são crianças, que sequer completaram o segundo grau, ou então militantes políticos, ou ainda, pessoas ligadas ao próprio governo.

Nos últimos anos, páginas da Wikipédia no Brasil foram modificadas a partir de computadores localizados dentro da rede do Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados) e da Presidência da República para a inclusão de elogios e retirada de críticas a membros do governo.
Em levantamento feito pela Folha de São Paulo, essas edições foram realizadas entre 2008 a 2014, onde o caso mais relevante de edição ocorreu em dezembro de 2013, quando uma conexão de internet da Presidência da República foi usada para retirar um trecho sobre as suspeitas de corrupção na Funasa (Fundação Nacional de Saúde) quando Alexandre Padilha era diretor do órgão, e incluir elogio ao programa Mais Médicos.

Além disto, algumas modificações foram feitas para caluniar adversários políticos e até mesmo jornalistas.

No caso mais recente, divulgado pelo jornal O Globo, a rede de internet do Palácio do Planalto foi usada para fazer alterações nos perfis dos jornalistas Míriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg, com o único objetivo de criticá-los.

Uma das modificações afirmava que as análises de Míriam Leitão eram “desastrosas” e que ela teria ligações com o ex-banqueiro, condenado por corrupção, Daniel Dantas. Já no perfil de Sardemberg, foi afirmado que a sua atuação como comentarista econômico teria conflito de interesses, dado que um de seus irmãos trabalha na Febraban (Federação Brasileira de Bancos).
Acho que é espantoso que um órgão público, ainda mais o Palácio do Planalto, use recursos e funcionários públicos para fazer esse tipo de ataque a jornalistas, quando deveria estar dedicado às questões de Estado.” (Fonte: O Globo)
Míriam Leitão
O outro lado
De acordo com a Agência Brasil, a presidente Dilma Rousseff classificou como inadmissível o uso da rede de internet do Palácio do Planalto para alteração de perfis de jornalistas na Wikipédia.
A minha opinião é que isso é absolutamente inadmissível por parte do Planalto, do governo federal, ou por parte de qualquer governo. Nesse caso específico é algo que quem individualmente quiser fazer que o faça, mas não coloque o governo no meio”
Dilma Rousseff
Diz a lenda que a presidenta determinou uma investigação sobre este caso, com a participação do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI), do Ministério da Justiça, da Polícia Federal, da Secretaria-Geral da Presidência e da Controladoria-Geral da União (CGU).

Diz a lenda que a presidenta determinou uma investigação sobre este caso, com a participação do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI), do Ministério da Justiça, da Polícia Federal, da Secretaria-Geral da Presidência e da Controladoria-Geral da União (CGU).

Me engana que eu gosto

- Oras! Esta não é a primeira vez que isto acontece. Por que então deveríamos acreditar que, agora, essas investigações trarão algum resultado?! :-/
Infelizmente, criticar o governo está se tornando um motivo para perseguições ideológicas ou até mesmo censura, como é o caso do Canal do Otário na Wikipédia de língua portuguesa. 

Canal do Otário na Wikipédia

A página do Canal do Otário na Wikipédia do Brasil está banida!
 - Isso mesmo! Ninguém (a não ser os seus “poderosos administradores”) tem permissão para criar uma página na Wikipédia brasileira sobre o Canal do Otário.

 As argumentações dadas para banir a página do Canal do Otário variam desde “falta de notoriedade” até a afirmação de que a página seria “puro vandalismo”. Leia mais aqui.

- Vandalismo é o que esses estão fazendo. Uma panelinha (provavelmente financiada ou associada a políticos, ou simplesmente pessoas que sofrem da “Síndrome do Poder Pequeno“) usando suas ideologias políticas para popular as informações na Wikipédia que mais lhes convém, e censurar tudo aquilo que for contrário ao que pensam.

Mas o curioso é que, na Wikipédia de língua inglesa (onde esses vagabundos  “administradores” não tem alcance), a página do Canal do Otário existe e está repleta de referências como: The Wall Street Journal, Jornal Nacional, Estadão, Revista Época, Info Exame e por aí vai… (pois é, para um canalzinho de youtube, até que tenho uma certa notoriedade, né?!)
Página do Canal do Otário na Wikipedia de língua inglesa
Pelo menos lá fora a Wikipédia é um pouco mais séria (ou talvez a atuação dessa cambada do Brasil seja um pouco mais restrita) ;-)

- E viva a Venezuela! Ops, quer dizer… Brasil!

Otário Anonymous

Fonte: Canal do Otário

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Curta-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Assine os Feeds Entre em contato