background img

Austrália revisa autorização do 2,4-D e já proibiu algumas de suas formas

O órgão do governo australiano responsável pela autorização de agrotóxicos e produtos veterinários (Australian Pesticides and Veterinary Medicines Authority – APVMA) cancelou o registro dos herbicidas 2,4-D do tipo HVE (éster altamente volátil) pelo fato de eles representarem riscos inaceitáveis para o meio ambiente.

Com a decisão publicada no dia 21 de agosto, o órgão conclui a primeira parte da reavaliação do produto, focada nos riscos ambientais. Foi decretada a proibição imediata do fornecimento do ingrediente ativo 2,4-D HVE, enquanto a venda de produtos formulados com o ingrediente proibido, fabricados antes de 21 de agosto, será permitida somente até 31 de agosto de 2013. Os agricultores que tiverem comprado esses produtos poderão utilizá-los até 31 de agosto de 2014, e a partir de então qualquer utilização do produto será ilegal.

A segunda parte da reavaliação do 2,4-D analisará os aspectos toxicológicos, de saúde ocupacional e avaliações de segurança de todas as formas do produto, bem como os riscos ambientais das formas não voláteis e de baixa volatilidade (ácido, sal e ésteres de cadeia longa).

Um relatório preliminar das descobertas da segunda etapa da revisão será divulgado assim que a avaliação for concluída. O relatório completo da avaliação com foco na saúde humana deverá estar disponível no final de 2013.

Note-se que o 2,4-D é o herbicida para o qual a indústria de transgênicos está se voltando à medida que diversas espécies de mato estão desenvolvendo resistência à aplicação do glifosato e, assim, ameaçando a viabilidade das lavouras transgênicas tolerantes ao veneno. No Brasil, já estão na pauta da CTNBio pedidos de autorização para o plantio comercial de dois tipos de soja e um tipo de milho tolerantes ao 2,4-D. Os pedidos deverão ir a votação em plenário na reunião do colegiado em outubro. Considerando que até hoje o órgão nunca negou nenhum pedido de liberação comercial de transgênicos, a tendência é que o Brasil seja o primeiro país do mundo a dar esse passo atrás, o que previsivelmente levará a um exponencial aumento no consumo do polêmico e extremamente tóxico herbicida.

Com informações de:
Australian Pesticides and Veterinary Medicines Authority – 2,4-D Review.

Veja também a respeito:
New Genetically Engineered Crop Will Sharply Increase Use of Toxic Pesticide, a “Probable Human Carcinogen”

Center for Food Safety, August 29 2013 http://bit.ly/14J92VN

Fonte: Pratos Limpos

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Curta-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Assine os Feeds Entre em contato