background img

A religião Bahá'í busca através da ONU o governo global

(A TRADUÇÃO ABAIXO CONSTA NOS TERMOS EXATOS EM QUE ME FORAM ENTREGUES, PERDOEM OS EQUÍVOCOS POIS O TRADUTOR NÃO RESIDE HÁ ANOS NO BRASIL)

É noto que a Igreja (no sentido de Roma, do vaticano), se ela se mete em falar sobre questoes sociais, se move no andar da competência ética e religiosa. Portanto, se ela (Igreja) enfrenta a atual crise financeira, ela não tem como propósito entrar em questões técnicas, mesmo não as ignorando. O discernimento e a progetualidade que ela coloca em campo são frutos de multiplos saberes dentro de uma prospectiva Teologica-moral. É assim que, a igreja propõe um saber sintético, global, segundo a inspiração Cristã.

Como superar visões distorcidas? Movendo um novo pensamento, de um novo umanismo global, segundo qual o ser e o ter comanda uma ética mais "amiga da pessoa", ou seja, uma ética fraternal e solidária, e tambem a subordinação da economia e da finança para a politica (no sentido economia e finança debaixo da política), responsável pelo bem comum. Só assim se podem vencer as idolatrias de um mercado que tem como uma única regra os objetivos e prospectivas tecnicas, ignorando aquela ética  de se importar intimamente.

No aspecto progetual, ou seja as indicações de modos de solução, A nota do Consiglio do Vaticano, sugere que a globalização seja governada mediante a constituição de uma AUTORIDADE PUBLICA COM COMPETENCIA UNIVERSAL.

Uma prospectiva ja falada pelo papa Giovanni XXIII, é reproposta pelo papa Benedetto XVI na Caritas Veritate. As reflecçoes do conseglio Papal, querem sublinhar suggerimentos para reformas nas atuais instituiçoes internacionais, para que sejam mais autoritarias e democraticas. Esses devem ser um accordo livre e aceito pelo povo. Devem ser em super partes,ao serviço do bem de todos, com a capacidade de oferecer uma guia eficaz, e ao mesmo tempo, permitir a qualquer pais de exprimir e perseguir o proprio bem comum, no contexto para o bem comum mundial.

Só assim as instituições internacionais conseguirão favorecer a existencia de sistemas monetários e financiarias eficientes e eficazes. A AUTORIDADE MUNDIAL NÃO TERÃO QUE ESMAGAR OU ABUSAR DOS GOVERNOS NACIONAIS E REGIONAIS. ELA (A AUTORIDADE) TERÁ QUE FAZER ENTENDER O SEU PODER DE ORIENTAR E DECIDIR, E TAMBEM MULTAR SOBRE A BASE DO DIREITO, como um colocar-se ao serviço dos vários países membros, para que possam crescer e possuam mercados eficientes e eficazes, ou seja mercados nao iper-protegidos por politicas nacionais paternais, nao infraquecidos por déficit sistemáticos das finanças públicas e de produtos nacionais, que de fato impedem aos mercados de trabalhar em um contexto mundial como instituições abertas e de concorrência.

O texto do conseglio Papal, em primeiro lugar, tem como prospectiva um processo de reforma "tendo como ponto de referimento a ONU, em razão a sua amplificaçao mundial, das suas responsabilidades, da sua capacidade de reunir todas as nações da terra e a diversidade das suas tarefas e aquelas das suas Agencias especializadas".

Em segundo lugar propõe um claro salto de qualidade a respeito das instituições informais já existentes. Ocorre em particular, a passagem decisiva de um sistema governante - ou seja o cordinamento horizontal dos Estados sem uma Autoridade super partes -- a um sistema que, além do cordinamento horizontal, tenha uma Autoridade super partes, com poder de decidir com método democrático e multar, em conformidade do direito.

Uma tal passagem, em direção a um "Estado de direito" e formas de "governos mundiais", não pode acontecer se não dando expressão política a preexistentes interdependencias e cooperações e , então, abandonando a pratica do multilateralismo seja a nível diplomático que no ambito dos planos para o desenvolvimento sustentável e para paz.

Segundo algumas reflexões do Conseglio papal, o allagarmento da atual G7 para G20, nao coincide com o quanto podemos pedir. Se trataria de uma solução ainda não satisfatória e inadeguada. Mesmo com as melhoras na composição e funcionamento, o G20 não responde plenamente a lógica da ONU nas quais deveria responder. Os Estados que compõem o G20 não se podem considerar representadores de todos os povos do mundo. Mesmo alargado, o G20 como bem conhecido, não faz parte da ONU, é sempre um forum informal e limitado, que mostra perder ainda mais eficácia quando vem ampliado. No estado atual, o G20 falta de legitimação e de mandado político da parte das comunidades internacionais.

 A isso se tem que aumentar que, não mudando a situação, arrisca de se substituir de fato as instituições internacionais como o - FUNDO MONETÁRIO INTERNACIONAL, OU O BANCO MUNDIAL -- que mesmo precisando de reformas, aparecem em condições de representar em maneira institucional TODOS OS PAÍSES E NÃO UM NUMERO DELES RESTRITO.



Fonte: Casando o Verbo

2 comentários: Leave Your Comments

  1. A violência que ceifa vidas inocentes na SIRIA, á exemplo do resto do mundo; decorre da indiferença humana para o ALERTA DIVINO resumido na seguinte parábola bíblica:

    (Am.) - AMÓS: AMEAÇAS CONTRA DIVERSAS NAÇOES

    (São 31 letras e 4 sinais evidenciando que:)

    MÁS AÇÕES NO SER: A TRAÇA COME NAS VIDAS.

    ResponderExcluir
  2. O LIVRO DA VIDA
    (ES.12)
    (JB.6.45) – ESTÁ ESCRITO NOS PROFETAS: (IS.34.16) - BUSCAI NO LIVRO DO SENHOR E LEDE (ES.87.8) – AO ESPÍRITO DO NOSSO SANTO GUIA, NESTE MEU SER QUE É PREDESTINADO, RECOMPONDO ESSES CARACTERES, DESSA FORMA: (148 letras e 8 sinais)
    (JB.19.28)- Depois, vendo Jesus que tudo já estava consumado para se cumprir a Escritura, disse: (1SM.12.3) – Eis-me aqui, (DN.9.24) – para dar fim aos pecados, para expiar a iniqüidade, para trazer a justiça eterna:(JB.8.25) – Que é que desde o princípio vos tenho dito? (LC.12.2) Nada há encoberto que não venha a ser revelado; e oculto que não venha a ser conhecido:(LE.3.1) – Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu; (2PE.3.4) porque desde que os pais dormiram, todas as cousas permanecem como desde o principio da criação:(AP.14.13) Então, ouvi uma voz do céu, dizendo: Escreve: (BC.4.4) – Ditosos somos, ò Israel; porque as cousas que agradam à Deus nos são manifestas: (JS.1.8) – Não cesses de falar deste livro da lei, antes, medita nele dia e noite, pára que tenhais cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; (JB.13.15) – porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também: (LC.16.17) – E é mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til sequer da lei: (ÊX.3.6) – Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: (EC.24.32) – Tudo isto é o livro da vida, e o testemunho do Altíssimo, e o conhecimento da verdade: (IS.46.8) – Lembrai-vos disto e tende ânimo, tomai-o à sério, ó prevaricadores; (EC.28.7) – porque a corrupção e a morte estão a cair sobre aqueles que quebrantam os mandamentos do Senhor: – (IS.24.5) – Na verdade a terra está contaminada por causa dos seus moradores, porquanto transgridem as leis, violam os estatutos e quebram a aliança eterna: (SL.14.3)–Todos se extraviaram e juntamente se corromperam; (SL.106.33)- pois foram rebeldes ao Espírito de Deus, e Moisés falou irrefletidamente: (RM.6.19) - Falo como Homem por causa da fraqueza da vossa carne: (LC.16.9) – E eu vos recomendo: Buscai n’A BIBLIOGÊNESE DE ISRAEL, o poder do saber viver sob a proteção de Deus; (RM.8.22) – porque sabemos que toda a criação, a um só tempo geme, e suporta angustias até agora:
    ESCREVI ESSE RESUMO, AGINDO COMO UM DOS SANTOS PROFETAS, LENDO NOSSO CARATER, E CRIANDO O LIVRO QUE DÁ SENTIDO À SANTA VIDA, PELO SENHOR DEUS: ESSE SÁBIO PR OFETA É CRISTO, E TEREIS PODER: (IL.148.8)

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Curta-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Assine os Feeds Entre em contato