background img

Relembrando o Holocausto na Alemanha Nazista — Parte 1: Lições Para o Nosso Tempo

Adolf Hitler matou seus milhões, porém o vindouro Anticristo matará bilhões.

Este mês Israel rememora o terrível Holocausto na Alemanha Nazista, que sistematicamente matou seis milhões de judeus, aproximadamente dois terços da população judaica que existia no mundo naquele tempo. O novo primeiro-ministro israelense Netanyahu liderou os judeus de todo o mundo ao declarar que eles "nunca mais" serão cercados e assassinados.

Aqueles que negam o Holocausto precisam assistir a este videoclipe de um álbum de fotos preto e branco que foi descoberto nos alojamentos de um campo nazista do Holocausto. As fotos e o diálogo documental acompanhante contam a história do Holocausto em grande detalhe. Pedimos que você separe agora seis minutos de seu tempo para assistir a este vídeo.

"Auschwitz — O Último Álbum de Fotografias", Israel National News, 21 de abril de 2009.

As informações fornecidas neste breve documentário são um resumo do volumoso livro histórico intitulado The Nazi Doctors: Medical Killings and the Psychology of Genocide, de Robert Jay Lifton, Basic Books, New York, 1986.

Embora este livro esteja esgotado, recomendo que você tente encontrá-lo na seção de livros usados de qualquer livraria on-line na Internet. Sua compreensão da maneira altamente sofisticada de como os nazistas exterminaram os seis milhões de judeus crescerá exponencialmente, bem como seu horror com a realidade que a sociedade ocidental em geral, e os EUA, em particular, estão seguindo um trajeto similar de condicionar as pessoas a aceitarem a próxima matança da próxima minoria desprezada — os cristãos fundamentalistas.

Neste primeiro artigo sobre o Holocausto na Alemanha nazista, desde a Kristallnacht, em 9 de novembro de 1938, até o dia quando as forças aliadas fecharam o último campo de concentração nazista, em 5 de maio de 1945, examinaremos o modo como Hitler preparou diabolicamente o povo alemão para o assassínio de todos os judeus na Europa e como a população dos EUA está sendo condicionada hoje de uma forma muito similar para odiar os cristãos fundamentalistas.

Os historiadores fizeram a seguinte pergunta: "Como a Alemanha de Martinho Lutero pôde ter sido capturada por Adolf Hitler?".

Deveríamos hoje começar a fazer a seguinte pergunta: "Como os EUA do pastor Jonathan Edwards foram capturados pelas forças avassaladoras do Anticristo já presentes e ativas?".

Vamos começar a examinar a Alemanha:

Já dissemos diversas vezes antes em outros artigos que a Nova Ordem Mundial é nazismo desinfetado. Os aderentes da Nova Era acreditam nos mesmos dogmas religiosos e sociais que os nazistas (leia o artigo N1185, "Historiador Secular Investiga as Raízes do Nazismo e Comprova a Similaridade com a Nova Era"). Ambos os sistemas reconheciam a necessidade de um líder super-homem, totalmente treinado nos caminhos secretos do ocultismo. Ambos os grupos pregavam que o mundo precisa se unir em um sistema global de governo, religião e economia, sob a liderança do seu super-homem. Além disso, ambos os sistemas chamam seu super-homem de Anticristo. Em outro artigo, identificamos mais de 40 áreas específicas de crenças e objetivos comuns entre a Nova Ordem Mundial de Adolf Hitler e a da atual liderança mundial.

Portanto, não devemos ficar surpresos em saber que a sociedade americana está percorrendo um caminho similar ao que a Alemanha percorreu do fim do século XIX até 1938, quando Hitler começou sua perseguição mais inflamada contra os judeus. Discutiremos a maneira como os nazistas gradualmente colocaram a corda em volta do pescoço coletivo de seus maiores inimigos, os judeus; em seguida, veremos que a atual Nova Ordem Mundial está similarmente colocando a corda em volta dos pescoços de seu maior inimigo — os cristãos fundamentalistas e nascidos de novo.

Prepare-se para um choque.
Satanás começou a condicionar os alemães a aceitarem o Holocausto no fim dos anos 1800, quando promoveu uma explosão da popularidade das antigas lendas nórdicas entre a população. Pela primeira vez em séculos, os alemães de todos os níveis sociais começaram a se aprofundar nessas antigas lendas heróicas. Logicamente, a religião das tribos nórdicas era satanismo. Portanto, os alemães, que estavam se aprofundando naquela antiga sociedade estavam também sendo sutilmente imersos em satanismo. Em bem pouco tempo, sem perceber, os alemães começaram a aderir aos valores do satanismo em suas vidas pessoais.

Um dos principais produtos derivados desse novo amor pelos heróis guerreiros românticos era a crença que somente os fortes mereciam viver. Somente os fortes tornavam a nação poderosa o suficiente para derrotar seus inimigos. Por outro lado, os fracos, os miseráveis, os doentes, os deficientes físicos e mentais e os inerentemente decrépitos (os judeus) eram vistos como um ralo na sociedade. Uma frase criada para descrever essas pessoas reverberaria por toda a história: uma vida indigna de ser vivida. Essa atitude permeou tanto a sociedade alemã que milhões passaram a acreditar nela no mais fundo de seus corações. Nas duas décadas antes de Hitler assumir o poder, certos médicos e enfermeiros acreditaram tanto nessa mentira insidiosa que começaram a fazer uso indevido da tecnologia médica de modo a matar as pessoas que estavam sob seus cuidados. Quando Hitler assumiu o poder, ele simplesmente colocou os recursos do Governo Central atrás desse rolo compressor que já estava em movimento, um fato captado sucintamente pelo autor Robert Jay Lifton em seu livro The Nazi Doctors (Os Médicos Nazistas):

"Por todo lado ali tomou forma o princípio que a prática do extermínio era parte do trabalho legítimo do governo." (pág. 48; ênfase adicionada).

Satanás estava manipulando o cenário.

Além disso, como Satanás sempre odiou os judeus, o antissemitismo começou a crescer. Sentimentos antijudaicos começaram a permear a população, inicialmente de forma sutil, tão pequena que ninguém observou. Entretanto, a partir da década de 1920, mais aversão aos judeus do que nunca começou a se manifestar na Alemanha. A princípio, esse ódio foi perpetrado por alemães individuais contra os judeus alemães. Funcionários judeus começaram a observar que, subitamente, eles não estavam sendo promovidos, ou estavam sendo demitidos sem justa causa. As universidades e faculdades começaram a adotar regulamentos internos que mantinham os judeus fora da academia. As crianças judias nas escolas começaram a reclamar amargamente para seus pais que estavam sendo maltratadas por seus colegas de classe, ao mesmo tempo em que muitos professores e administradores deixavam de corrigir os infratores e punir os culpados.

Coletivamente, os judeus alemães podiam sentir o aperto da corda em volta de seus pescoços. Os judeus eram como todas as outras pessoas em qualquer época; tudo o que queriam era tranquilidade, para poderem crescer, constituir família, ver seus netos e morrer de morte natural e em paz. Além disso, como a maioria das pessoas, os judeus estavam relutantes em acreditar no cenário do pior caso possível, isto é, que toda a nação alemã pudesse subitamente se voltar contra eles e começar a matá-los. Mesmo quando Adolf Hitler fez essas ameaças tomarem vida, de forma impressa, quando publicou seu livro Minha Luta, a maioria dos judeus se recusou a acreditar que aquilo seria colocado em prática.

Incrivelmente, mesmo quando os judeus foram forçados a viver em guetos, aguardando seu extermínio final, continuaram a viver com a ilusão que a perseguição seria temporária e que Hitler nunca realmente tentaria implementar a política de extermínio definida em seu livro Minha Luta. Tudo o que os nazistas tiveram de fazer para garantir que os judeus caminhassem cegamente para os chuveiros da morte foi confortá-los com palavras gentis em um crematório projetado para parecer como um lar para idosos.

Hoje, um número grande demais de pessoas continua a viver em suas ilusões. Elas se recusam a ser advertidas do vindouro holocausto contra os cristãos, insistindo que continuarão a viver em suas fortes ilusões.

A aversão e perseguição aos judeus deram uma forte virada para pior quando Hitler assumiu o poder em 1933. Agora, os recursos do Governo Central começariam a ser injetados em todos os aspectos da sociedade para incrementar o ataque. Uma das principais novas armas contra os judeus era a propaganda — principalmente cartazes, rádio e nova indústria do cinema. Os judeus eram consistentemente retratados de forma estereotipada como sendo não-humanos, perigosos para a sociedade, gananciosos, estúpidos, etc. O maior filme de propaganda de todos os tempos foi o filme nazista "O Judeu Errante". Esse filme retratava os judeus como errantes por toda a terra, infestando todos os países com suas sujeiras. Esse filme retratava graficamente os judeus como ratazanas, um estereótipo que ficou arraigado na mente de milhões de alemães. Os historiadores objetivos concordam que "O Judeu Errante" tornou o Holocausto não somente possível, mas inevitável.

Agora, o cenário ficou armado para a perseguição pública total aos judeus. Hitler estava convencido que o alemão mediano na rua não faria nada para impedir um ataque total. O ano era 1938; tudo o que Hitler necessitava era de uma desculpa para descer o chicote nos judeus. Não se engane sobre o fato que ele teria essa desculpa, mesmo se tivesse de inventar o ato específico de provocação. Esse é um fato histórico que todos nós deveríamos compreender perfeitamente. Muitas vezes na história, os governos criaram exatamente os incidentes aos quais foram "forçados" a reagir. À medida que nos movemos para a implementação real da Nova Ordem Mundial, compreenda que agentes provocadores do governo poderão muito bem estar a postos atrás dos bastidores para produzir a violência que eles precisam para atingir seu cobiçado objetivo.

Hitler não teve de esperar por muito tempo, pois Satanás é um mestre em providenciar os eventos no momento certo. Em 7 de novembro de 1938, em Paris, um jovem judeu muito insatisfeito matou um diplomata alemão a tiros, como protesto contra o modo como os judeus estavam sendo tratados. Hitler e seus camaradas tiveram o incidente que estavam aguardando. Na noite de 9 de novembro, o satânico Joseph Goebbels, ministro nazista da Propaganda, ordenou que passeatas contra o assassinato começassem imediatamente. Os jornais alemães, totalmente sob o controle nazista, noticiaram essas agitações como se fossem espontâneas, como se representassem a ruptura do sentimento alemão represado contra os judeus. Hitler e Goebbels pintaram toda a população judaica com o mesmo pincel bem grosso com o qual retrataram o assassino do diplomata alemão. Os nazistas usaram um evento que sabidamente não era representativo da população judaica, como desculpa para iniciar a política da mais brutal perseguição. Toda a população judaica iria sofrer e, posteriormente, morrer, por causa do assassinato de um alemão.

O resultado foi um dos episódios mais horríveis em toda a história registrada. O reverendo Paul Schenck escreveu em seu livro The Extermination of Christianity, que aquela passeata "espontânea", chamada Kristallnacht — a noite dos cristais quebrados — transformou a sociedade alemã para sempre, resultando posteriormente na Solução Final de Hitler para o "problema" judaico nos fornos do Holocausto. Hitler galvanizou toda a população alemã à ação contra seu grande inimigo identificável, os judeus. Se os judeus não existissem na Alemanha na quantidade e com a influência que tinham, Hitler teria inventado algum outro inimigo.

Como resultado dessa perseguição mortal contra os judeus, Hitler conseguiu tomar o controle ditatorial absoluto da Alemanha. Usando o caos que seus próprios planos criaram, Hitler se tornou governante militar com poderes totais na Alemanha. O Holocausto tinha se iniciado.

Agora, vamos retornar aos tempos atuais. A Nova Ordem Mundial neonazista está prestes a vir sobre nós com força total. A liderança dessa nova ordem tem um inimigo forte e identificável contra quem a população poderia ser galvanizada? Sim, e eles planejam usar esse grupo do mesmo modo como Hitler usou os judeus — para assumir o poder ditatorial e absoluto. Quem é esse grupo? Os cristãos nascidos de novo e fundamentalistas. Tenho observado que os autores da Nova Ordem Mundial dão entusiasticamente as boas-vindas a todos os membros de todas as outras religiões em suas fileiras, exceto para os cristãos nascidos de novo e fundamentalistas. Alguma coisa, ou alguém, está realmente despertando o ódio deles contra esse grupo. Além disso, o governo e a mídia estão cooperando em um esforço de sistematicamente condicionar o cidadão mediano contra os cristãos nascidos de novo. O resultado planejado será o mesmo: o surto de uma intensa perseguição que simultaneamente erradicará os cristãos e entregará o governo ao Anticristo.

Desde o momento que a comunidade cristã evangélica americana começou a aceitar o presidente Bush como um cristão, adverti que aquilo era um erro de proporções monumentais! Se Bush se tornasse grandemente desacreditado, então seus principais apoiadores também perderiam a credibilidade. À medida que Bush arrastou os EUA para o atoleiro das guerras contra o Iraque e o Afeganistão, à medida que ele perdeu popularidade por causa de suas posições em muitas questões, continuamos a advertir que os cristãos fundamentalistas poderiam ser visados por um futuro presidente como os judeus foram visados por Adolf Hitler.

Infelizmente, nossas advertências foram ignoradas e hoje, o início de uma aversão contra os cristãos genuínos está claramente visível.

A partir de um ponto de vista histórico e sociológico, pode-se ver evidências da aproximação de uma perseguição de uma maioria contra uma minoria quando certos eventos começam a acontecer. Vamos examinar sete desses eventos que anunciam a chegada da perseguição de uma minoria identificável:

Evidência Social 1. Quando a maioria começa a atuar enfaticamente contra a liderança da minoria, especificamente violando a lei e/ou a jurisprudência na medida em que agem contra a liderança. Quando a Polícia começou a atacar e surrar os ativistas que protestavam contra o aborto, sem punição, esse foi um evento de proporções históricas, pois é um termômetro de ainda mais perseguições. A Polícia também tem acusado falsamente os ativistas contrários ao aborto de incitar a violência, e os tribunais apoiam integralmente. Quando os pregadores de rua na Pensilvânia foram presos por distribuírem folhetos e pregarem o evangelho, e o sistema jurídico os acusa, você tem toda razão de esperar que a perseguição real e o holocausto eventual estejam no horizonte.

A evidência número 2 está intimamente relacionada com a primeira.

Evidência Social 2. Quando o sistema jurídico começa a impor sentenças muito pesadas contra a liderança da minoria do que seria esperado, ou daquilo que tem sido historicamente o caso para esse tipo de "infração".

Esse tipo de atividade começou com a ação judicial contra o reverendo Jim Baker, vinte anos atrás. Embora nenhum líder cristão tenha apoiado o comportamento de Baker, muitos ficaram chocados com a pena de 45 anos de prisão, que é claramente inacreditável! Assassinos, traficantes de drogas e estelionatários não recebem uma pena tão severa assim. No caso de Baker, ninguém foi assassinado e não havia acusações envolvendo drogas no caso. Quando o clamor do público não aconteceu, os líderes da Nova Ordem Mundial souberam que podiam fazer crescer o programa deles contra os cristãos fundamentalistas.

Evidência Social 3. Quando a retórica contra a minoria começa a ficar superaquecida. Há vários anos que líderes feministas militantes e a liderança dos gays e lésbicas estão envolvidos em uma retórica superinflamada. Esses líderes propõem medidas extremamente severas contra os odiados cristãos fundamentalistas que se atrevem a fazer oposição à agenda deles. Mas, quando o líder supremo da maioria começa a atacar a minoria em alguma questão, usa uma linguagem inflamada e recorre à insinuações, mentiras e distorções em seu ataque, você sabe certamente que a perseguição está prestes a começar. Quando o presidente Clinton ameaçou o líder pró-vida Bob Jewett, durante uma assembleia municipal televisada em Michigan, com ação do governo contra ele, todos deveriam saber que a hora estava já avançada. Clinton declarou: 'Vou garantir que tipos como vocês, da Operação Resgate, passem o resto de suas vidas na cadeia." (Citado do livro de Paul Schenk, The Extermination of Christianity, pág. 76). Observe que Clinton estava ameaçando se envolver pessoalmente na campanha do governo contra o movimento antiaborto e observe especialmente a ameaça específica de prisão perpétua. Este é um sinal claro da iminência de uma perseguição oficial e severa.

O atual presidente, Barack Obama, 'progressista' como é, me deixa preocupado. Posso imaginá-lo vindo contra os líderes e pastores cristãos com muita força. À medida que o mundo se aproxima do tempo quando a guerra global final será deflagrada para colocar o Anticristo em cena, acredito que esse presidente levará adiante a campanha contra os cristãos.

Evidência Social 4. Quando leis começam a ser aprovadas especificamente voltadas contra a minoria. Há vários anos que as igrejas e ministérios cristãos têm sido visados pelas leis de zoneamento e com a redução dos privilégios tributários. Um bom exemplo desse tipo de atividade que pressagia a perseguição declarada é reportado pelo boletim "Prophecy in the News". A partir de 1 de janeiro de 1994, o IRS (Serviço de Rendas Internas — equivalente à Receita Federal no Brasil) não mais permitirá que as deduções para instituições de caridade sejam feitas no valor total para aquisições de livros e fitas; em vez disso a contribuição às instituições de caridade precisará ser somente para a quantia que estiver acima do "Valor de Mercado" desses materiais. Lembre-se, a questão aqui não é o mérito da decisão. A questão é que um departamento oficial do governo federal criou uma determinação que é inconstitucional. A Constituição Americana proíbe especificamente esse tipo de ação. A Primeira Emenda diz claramente: "O Congresso não poderá legislar no sentido de estabelecer uma religião, ou de proibir o livre exercício de culto, ou de restringir a liberdade de expressão, ou de imprensa, ou o direito de o povo se reunir pacificamente e apresentar petições ao Governo para a reparação de injustiças.".

Lembre-se que todo presidente americano, desde Woodrow Wilson, tem levado o país para a Nova Ordem Mundial. Portanto, todo juiz em cada nível tem sido escolhido por presidentes da N.O.M. A maioria dos juízes nos EUA hoje são parte dessa nova ordem. Posteriormente demonstraremos essa realidade.

Você também sabe que a perseguição está prestes a ocorrer quando a retórica começa a dizer que leis deveriam ser criadas contra essa odiada minoria.

Evidência Social 5. Quando o sistema jurídico e os tribunais começam a ignorar as leis fundamentais (a Constituição) ao fazerem o ataque. Um dos principais sinais indicadores de uma perseguição iminente é quando o sistema penal começa a tomar decisões contra a minoria, especialmente quando essas sentenças adversas contradizem totalmente a jurisprudência do passado e do presente. Já mencionamos a pena extremamente severa e sem precedentes cominada a Jim Baker.

Entretanto, este próximo exemplo é muito importante, pois viola descaradamente a Constituição: Em 24 de janeiro de 1994, a Suprema Corte dos EUA decidiu por unanimidade que a infame Lei RICO poderia ser usada contra aqueles que protestavam contra o aborto. Essa decisão é chocante, pois a Suprema Corte permitiu que o uso da Lei RICO fosse expandido muito além de seu objetivo original. Para aqueles de vocês que não estão familiarizados com a Lei RICO, permitam-me explicá-la sucintamente. A Lei RICO foi aprovada em 1970, destinada especificamente contra as operações envolvendo drogas e crime organizado. Como as pessoas se envolvem nessas atividades ilícitas por causa dos imensos lucros obtidos, os legisladores criaram a Lei RICO para confiscar os bens adquiridos pelos traficantes de drogas. A Lei RICO dá ao governo poderes de confiscar todos os bens de um indivíduo com base unicamente em uma acusação. As agências governamentais de imposição da lei não precisam esperar pela condenação judicial para confiscar os bens dos acusados; elas podem confiscar os bens com base unicamente em uma acusação. Além disso, se o acusado conseguir obter a absolvição em um tribunal, o governo federal não precisa devolver todos os bens que foram confiscados.

Não importou para os legisladores e para o presidente que a Constituição, sobre a qual o sistema jurídico do país está assentado, proíbe esse tipo de ação antes da condenação em um tribunal. A Constituição garante que o acusado é presumivelmente inocente até que se prove o contrário e que precisa receber o "processo devido" da lei. Hoje, porém, qualquer pessoa que tente exigir que uma agência ou um funcionário do governo cumpra o que a Constituição diz é imediatamente considerado um "terrorista interno". A sociedade americana já seguiu um bom trecho no caminho rumo ao totalitarismo!

Esse é o tipo de lei que um ditador totalitário colocaria em vigor. Na verdade, a aprovação da Lei RICO foi um exemplo descarado de "legislação pré-totalitária". Os juristas previram que a Lei RICO seria imediatamente derrubada pela Suprema Corte, pois era obviamente inconstitucional. Entretanto, eles não perceberam que todo o sistema judicial apoia a agenda da Nova Ordem Mundial. Os juízes são muitíssimos enviesados; em sua maioria, eles estão tão comprometidos com os dogmas da Nova Ordem Mundial quanto qualquer político. A fato de a Suprema Corte ter mantido a Lei RICO prova essa afirmação.

Quando a Lei RICO estava em tramitação, alguns líderes cristãos com discernimento advertiram que o alvo final não eram os grandes traficantes de drogas, mas os cristãos nascidos de novo e fundamentalistas. Ninguém acreditou e eles foram alvo de zombarias. Eles foram acusados de serem morbidamente medrosos. Mas hoje ninguém os acusa mais. Essa decisão recente torna óbvio que o alvo é o cristianismo fundamentalista.

Esperamos mais leis desse tipo no futuro próximo. O dia em que os cristãos, tanto líderes quanto leigos, serão presos e terão seus bens confiscados está próximo. As indicações que uma perseguição planejada está iminente são bem fortes.

Evidência Social 6. Quando a mídia se torna o participante no ataque ideológico contra a minoria, quando as reportagens se tornam enviesadas e deliberadamente distorcidas. Na noite conhecida como Kristallnacht, a primeira ação do governo abertamente contra os judeus, dezenas de milhares de judeus foram presos e enviados para campos de concentração já previamente construídos. Todavia, a mídia reportou que somente 36 pessoas tinham sido mortas e somente 36 feridas com gravidade. Que mentira! A mídia estava cooperando há vários anos com o plano nazista da Nova Ordem Mundial. Os jornais, revistas e filmes estavam cooperando na difamação dos judeus e influenciando as mentes dos alemães há várias décadas, condicionando as pessoas a acreditarem nas piores coisas sobre seus vizinhos judeus.

A peça de propaganda mais infame que os nazistas utilizaram foi um desenho que retratava o judeu como uma repulsiva ratazana!

Do mesmo modo, a mídia americana tem retratado os cristãos fundamentalistas como "patetas, hipócritas, charlatães, racistas, antissemitas, doentes mentais, ladrões, palpiteiros, molestadores de crianças, estupradores, assassinos e canibais!" (Schenk, The Extermination of Christianity, pág. 89). Os filmes do cinema, programas na televisão, e grupos de música popular têm condicionado as pessoas há várias décadas a acreditarem nessas mentiras. Já chegou o tempo em que a maioria da população não reclamará muito quando os cristãos forem abertamente atacados e mortos. Além disso, exatamente como na Alemanha, um número suficiente de pessoas já começou a odiar os cristãos o bastante para participarem ativamente no assassinato. Outro sinal de uma grande perseguição iminente.

Antes de deixarmos o assunto da mídia, precisamos falar sobre os programas cristãos no rádio e os sites na Internet, que há muito tempo são espinhos na carne dos aderentes da Nova Ordem Mundial. Usando as rádios cristãs e a Internet, líderes cristãos têm proclamado firmemente a verdade do evangelho de Jesus para uma audiência que é potencialmente tão grande quanto a mídia secular. Com essa mídia cristã alternativa, não há como a liderança da N.O.M. impedir alguém de ouvir a mensagem do evangelho e se salvar. Além disso, as rádios cristãs e os sites cristãos na Internet são muito firmes em proclamar os absolutos bíblicos para um mundo que rejeitou os valores absolutos. Somente a mídia cristã fala com firmeza contra a agenda do Movimento Homossexual, contra a legalização das drogas, contra a ACLU, contra a agenda pró-Nova Ordem Mundial da Associação Nacional dos Educadores, e muitas outras questões. A mídia cristã está diariamente levando a verdade à nação, para todos que quiserem ouvir. O que pode ser feito para interromper isto?

A única resposta é remover as rádios cristãs e os sites cristãos na Internet — forçá-los a fechar. Entretanto, é difícil, chama muita atenção e é muito arriscado simplesmente aprovar uma lei que proíba a mídia cristã. Ainda existe um número bastante grande de pessoas que compreendem a questão do livre exercício da religião e que provavelmente protestariam. Um modo muito melhor de agir é regular a mídia cristã alternativa e forçá-la a fechar. Uma lei assim está tramitando no Congresso e é conhecida como "Fairness in Broadcasting Act" (Lei de Equidade nas Transmissões). De acordo com essa lei, quando chegar o tempo de renovação da licença de uma determinada estação de rádio, a audiência será convidada a escrever para a agência reguladora do governo e fazer seus comentários. Se apenas algumas poucas pessoas protestarem contra o conteúdo da programação de uma estação de rádio, os funcionários da agência reguladora das Comunicações poderão negar a renovação da licença da estação.

Assim, a mídia cristã está sob ataque como nunca na história. Outro sinal do fim.

Evidência Social 7. Quando assassinatos deliberados começam a ocorrer na sociedade, liderado pelas autoridades oficiais você sabe que a perseguição está próxima. Se os líderes podem audaciosamente matar pessoas de um grupo sem sofrer derrota pública, eles sabem que podem matar pessoas de qualquer grupo que desejarem. A aceitação pública do aborto sem restrições e da eutanásia são etapas no planejado holocausto contra o inimigo realmente grande da Nova Ordem Mundial — os cristãos nascidos de novo e fundamentalistas.

Quando todos esses fatores sociais começarem a ocorrer, a liderança da maioria estará observando diariamente a reação pública. Se o público reagir negativamente, a liderança da maioria recuará em seus planos. Se o público não reagir de forma negativa, ou se apoiar as etapas iniciais de perseguição, a liderança se sentirá encorajada a seguir rapidamente para a "solução final".

Fonte: Espada

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Curta-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Assine os Feeds Entre em contato