background img

Será que ainda somos vítimas de lavagem cerebral?

MK Ultra, HAARP, produtos químicos e privação sensorial – estas são algumas das técnicas de controle mental mais sofisticadas. Mas e quanto as muitas outras variações dos métodos de limitação do pensamento sendo usados ​​todos os dias pelos governos, religiões, mídia e corporações para dissuadir-nos das nossas tendências naturais? E como estes métodos diários de limitação do pensamento estão influenciando nossas escolhas políticas?

MK Ultra, HAARP, produtos químicos e privação sensorial – estas são algumas das técnicas de controle mental mais sofisticadas. Mas e quanto as muitas outras variações dos métodos de limitação do pensamento sendo usados ​​todos os dias pelos governos, religiões, mídia e corporações para dissuadir-nos das nossas tendências naturais? E como estes métodos diários de limitação do pensamento estão influenciando nossas escolhas políticas?

Embora não sejam tão hi-tech, existem métodos básicos de lavagem cerebral que “eles” estão usando em você agora, e esses métodos são extremamente eficazes em ignorar a parte pensante do seu cérebro causando o desligamento do seu cérebro lógico fazendo você “Obedecer”.

Líderes de seitas, políticos, sargentos e executivos de propaganda sabem como controlar seus pensamentos, ao simplesmente fazer você repetir uma frase ou slogan continuamente. Este método é conhecido como a “técnica de interrupção do pensamento”, e é exatamente o que ele faz. O presidente Obama foi eficaz na utilização desta técnica em sua campanha eleitoral com seu slogan: “Sim, nós podemos!” A técnica funciona porque a parte analítica e a de tarefas repetitivas de seu cérebro são separadas. Tente completar uma tarefa complicada que exija lógica, ao mesmo tempo gritando um slogan repetidamente. “Eu não posso fazer isso, eu não posso fazer isso, eu não posso fazer isso.”

Nesta época de sobrecarga de informações, a maioria das pessoas não tem tempo de ler as notícias completas então elas apenas folheiam as manchetes e esse é um outro meio “deles” te pegarem. Isso é chamado Amnésia de Fonte e devido ao cérebro ter um armazenamento limitado, ele armazena apenas as lembranças as quais considera ser informação importante ao invés de armazenar quando e onde você aprendeu essa informação.

Como exemplo, digamos que algumas fontes noticiosas informem que o Político Adams é um estrangeiro, e em seguida é lido nas manchetes “Novas Questões Levantadas no Congresso Acerca do Político Adams Ser um Estrangeiro” ou “O Político Adams é um Estrangeiro?” Na verdade não importa que as manchetes estejam fazendo uma pergunta porque a semente foi plantada e sua mente armazena isso como se o Político Adams fosse um estrangeiro. O uso de qualificadores (um ponto de interrogação ou atribuição a uma fonte específica) é um modo conhecido de enganar a mente para armazenar a informação e esquecer o qualificador. Mesmo que publicassem manchetes informando serem falsos boatos, a sua mente ainda armazenaria o fato como se o Político Adams fosse um estrangeiro.

Controlar o que você assiste e lê também é muito eficaz. Este método é usado até mesmo na Internet através do uso de filtros personalizados, que controlam os títulos que são exibidos baseado em suas escolhas anteriores. A idéia é isolar você de pontos de vista opostos e mantê-lo “alinhado” com a maneira “deles” de pensar. E funciona porque o cérebro oferece uma solucão rápida ao ler, ouvir, ou ver qualquer coisa que concorda com nosso ponto de vista. Curiosamente, nossos cérebros também estão conectados para oferecer essa mesma resposta ao descartar qualquer coisa que não concorde com nosso ponto de vista, não importa quão bem fundamentada. Em outras palavras, somos premiados ​​por estar com a mente fechada.

Note como esse método funciona na arena política, onde cada lado repudia o outro e grupos de fiscalização atacam-se aparecendo com destaque na mídia. Dividimos-nos de bom grado.

Outro método que “eles” usam é fazer uma idéia parecer ridícula, já que a maioria das pessoas não vai se preocupar em pesquisar para descobrir se a idéia é ou não ridícula. Afinal, nós não queremos ser classificados como ridículos se acreditarmos em algo que é ridículo, certo? Por exemplo, muitas pessoas têm medo de serem tachadas de loucas se acreditam que existem alienígenas porque a sociedade foi condicionada (lavagem cerebral) a acreditar que somente malucos acreditam na ridícula idéia que existem alienígenas. O cérebro pode entrar em curto-circuito com vergonha e deboche, e usar o escárnio é uma forma antiga de manter as pessoas na linha, que remonta há milhares de anos, quando a posição social era um meio de sobrevivência.

Mas de todos os métodos, não há nenhum mais sinistro do que o ” Nós contra Eles.” É como “eles” trabalham os extremos do pensamento. “Eles” levam você a acreditar que não há nada no meio e você deve escolher rapidamente entre estar “com eles” ou “contra eles.” Esse método funciona porque ele invoca o mecanismo “lutar ou fugir”, que sempre ativa um curtos-circuito no pensamento crítico . “Eles” invocam o seu cérebro primitivo através do medo, onde está tudo certo ou tudo errado.

Isso é “nós” contra o mundo, pequenas cidades contra metrópoles, esquerda contra direita, conservadores contra liberais, sempre retratando um lado como o dos mais fracos de espírito e a escolha menos desejável. Queremos pertencer e sentir amor e apego com aqueles que parecem e agem como “nós”, criando ódio por aqueles que são diferentes de “nós”, os todo-poderosos. É Desta forma que acontece a desumanização e como o racismo e o genocídio ocorrem. “Eles” descobriram isso e podem usar esse método para arremessar você em qualquer loucura que “eles” escolham- e isso, meus amigos, é o objetivo final deles.

Fontes:
Fatos Finais , Planeta Prisão

| Enviar artigo para um amigo |

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Curta-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Assine os Feeds Entre em contato