background img

Papa Francisco: “não é problema” ser ateísta, contanto que você “seja bom.”

Papa Francisco havia dito que mesmo os ateus podem se salvar, desde que realizem boas ações

Imagine todas as pessoas vivendo a vida em paz, diria o músico John Lennon, repleto de utopia em sua célebre canção. Hoje, a realidade se torna um passo mais próxima deste ideal. O motivo é tanto inédito, quanto surpreendente: o Papa Francisco declarou que “o Senhor redimiu todos nós, todos nós, com o Sangue de Cristo: todos nós, não apenas católicos. Todo mundo!… até mesmo os ateus. Todos!”.

No dia 22 de maio de 2013, o líder da Igreja Católica, que atualmente agrega cerca de 1.2 bilhões de fiéis, pregou que todos nós temos direito a um “pedacinho no céu”, enquanto fizermos o bem. A declaração foi feita em sua homilia matinal, realizada em Roma e sem o auxílio de textos pré preparados. Durante a missa, para melhor explicar o contexto de sua pregação, o Papa utilizou um trecho do Evangelho de Marcos¹ , no qual Jesus é questionado e explica aos seus discípulos acerca do exorcismo de demônios praticado por não seguidores.

(…) E João lhe respondeu, dizendo: Mestre, vimos um que em teu nome expulsava demônios, o qual não nos segue; e nós lho proibimos, porque não nos segue.

Jesus, porém, disse: Não lho proibais; porque ninguém há que faça milagre em meu nome e possa logo falar mal de mim.

Porque quem não é contra nós, é por nós.

É com grande bravura que o discurso do Papa foi feito, pois, para os mais ortodoxos, pode ser tomado como afronta, algo ilógico. Para tais fiéis, seria impróprio pensar que aqueles que não seguem as Sagradas Escrituras adequadamente deveriam ir para o Céu. Dessa forma, existe o risco eminente do questionamento por parte dos mesmos, tanto da autoridade papal, quanto do teor de seus discursos, o que pode impactar, também, na perda destes fiéis.

As implicações são diversas. As afirmações tem um grande apelo perante o público. Ao dizer “todos”, o papa agregou no mesmo barco não só católicos, como também budistas, muçulmanos, luteranos, judeus, espíritas, agnósticos, muçulmanos, entre outros. Isso provavelmente renderá a simpatia de humanistas e trará tranquilidade aos ateus e céticos, não por necessariamente se importarem com a redenção oferecida, mas porque conceberá a eles, certamente, maior aceitação perante a sociedade, o que culminará em menor preconceito sofrido; ponto extremamente relevante, que contribuirá para separar a imagem, hoje quase obrigatória, de que religião mede caráter.

Afetará até mesmo muitos católicos que, por serem menos praticantes de seus afazeres perante a Igreja, se vêem em constante conflito interno. Não são raras as vezes que um homem segue um costume religioso por obrigação ou temor às leis de Deus, pregadas por sua Igreja. No entando, agora a máxima é, nas palavras de Papa Francisco, “apenas seja bom e nós acharemos um ponto de encontro”.

Então, eis que a questão extrapola, em sua essência, o conceito de Céu ou Inferno. A mensagem maior acaba sendo o caminho e não o fim para o qual se dirige. O que importa, na verdade, é que o resultado se torne a propagação de boas ações perante o próximo e com isso a constituição de um mundo melhor de se viver; algo que vem sendo pregado na Bíblia Sagrada há séculos, através das sábias palavras de Cristo²: “amai-vos uns aos outros como eu vos amei”. Por isso, senhor Papa, eu, como ateu e acima de tudo ser humano, admiro a coragem que teve de ser verdadeiramente cristão.

p.s: É interessante ver que o Papa está sendo bastante cauteloso em suas declarações, mesmo que sejam, aos olhos dos ortodoxos, “coisas absurdas”. Ele não vem colocando muito alarde, cuidando bastante da maneira que faz as devidas declarações. E esse, aparentemente, é um ponto de equilíbrio, que vem costurando crenças e pessoas diferentes. Por exemplo: Papa Francisco é defensor da união civil homossexual, afirma ny times

[ATUALIZADO 29/05]:

Dias após o discurso do Papa Francisco, o Vaticano lançou uma nota explicativa sobre a salvação dos ateus. Segundo um dos porta-vozes, Thomas Rosica, aqueles que tomaram conhecimento sobre a Igreja Católica “não poderão ser salvos” caso “recusem a entrar ou lá permanecer”. Isso contradiz o que o Papa havia dito sobre a salvação de todos. Porém, sua mensagem ainda permanece, devemos ser bons e fazer o bem para o próximo. Portanto, ateus, estamos novamente fadados ao fogo eterno – o lado bom é que não acreditamos em Inferno, de qualquer maneira.

Fontes:
Pagmatismo Politico , Litera Tortura , Radio Vaticana

2 comentários: Leave Your Comments

  1. Me perdoe minha intromissão no seu texto! Mas, quando Jesus fala sobre o está fazendo milagres, sem está seguindo-o, ou seja, não está com os discípulos... Isso não quer dizer que reconhecia que Jesus era o Messias;e quanto a Papa dizer q ateus ao fazer coisas boas irão para o céu, é um absurdo teológico. Só terá esse respaldo desde que, eles não conheçam Jesus. Pois Ele mesmo disse: "Quem tem o filho tem a vida eterna, porém aquele que não tem, é óbvio não tem a vida."(Parafraseado). No caso, se não conhecem Jesus não tem culpa; porém, se agora vê-lo, a culpa é maior

    ResponderExcluir
  2. A Palavra de Deus é bem clara quando diz que não somos salvos pelas obras, mas que as boas obras são para andarmos nelas.
    Quem é salvo pelo sangue de Cristo certamente que não vai andar a fazer o que é errado.
    Se nossas obras nos salvassem o Filho de Deus não precisava de ter passado pelo que passou.
    Para Deus nossas obras são:
    Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia; e todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniquidades como um vento nos arrebatam.
    Isaías 64:6
    Em Mateus 25 Jesus fala de 10 virgens...todas eram noivas mas somente 5 chegaram ao casamento.
    Não adianta reconhecer a Cristo como Senhor e Salvador e andar a praticar o mal.
    Seria melhor nunca ter conhecido Jesus.
    Porque, se pecarmos voluntariamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados,
    Mas uma certa expectação horrível de juízo, e ardor de fogo, que há de devorar os adversários.
    Quebrantando alguém a lei de Moisés, morre sem misericórdia, só pela palavra de duas ou três testemunhas.
    De quanto maior castigo cuidais vós será julgado merecedor aquele que pisar o Filho de Deus, e tiver por profano o sangue da aliança com que foi santificado, e fizer agravo ao Espírito da graça?
    Porque bem conhecemos aquele que disse: Minha é a vingança, eu darei a recompensa, diz o Senhor. E outra vez: O Senhor julgará o seu povo.
    Horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo.
    Hebreus 10:26-31
    O preço da salvação é este não há outro:
    Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais,mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado
    1 Pedro 1:18-19

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Curta-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Assine os Feeds Entre em contato