background img

Roundup ligado de novo a doenças como Parkinson, infertilidade e câncer

Posted at: By Luis Miranda

O uso excessivo e repetido do herbicida mais popular do mundo, Roundup, pode estar ligado a uma série de problemas de saúde e doenças, incluindo o Parkinson, a infertilidade e câncer, de acordo com um novo estudo.

O relatório publicado na semana passada na revista científica Entropy, disse ter evidências que indicam que os resíduos de “glifosato”, o principal ingrediente no herbicida Roundup, que é pulverizado ao longo de milhões de hectares de culturas, foi encontrado nos alimentos.

Esses resíduos pioram os efeitos nocivos de outros resíduos químicos de origem alimentar e toxinas no ambiente para interromper funções normais do corpo e induzir a doenças, de acordo com o relatório, de autoria de Stephanie Seneff, um cientista de pesquisa no Instituto de Tecnologia de Massachusetts, e Anthony Samsel , um consultor de ciência aposentado da Arthur D. Little, Inc.
Samsel é um ex-contratante privado em assuntos ambientais do governo, bem como um membro da Union of Concerned Scientists.

O impacto negativo sobre o corpo é insidioso e manifesta-se lentamente ao longo do tempo em forma de inflamação do corpo em todos os sistemas celulares do corpo“, diz o estudo.

Encontramos uma coisa muito importante que precisa ser levado a sério e investigada”, disse Seneff.

Os ambientalistas, grupos de consumidores e cientistas têm alertado que o uso de glifosato está causando problemas para plantas, pessoas e animais.

A Agencia de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA) está conduzindo uma revisão de registro padrão de glifosato e tem um prazo ate setembro de 2015 para determinar se o uso do glifosato deve ser limitado. O estudo é um dos muitos comentários apresentados ao organismo.

Monsanto é o craidor do herbicida Roundup e um conjunto de culturas que são geneticamente modificadas para resistir a pulverização com o herbicida Roundup.

Estas culturas biotecnológicas incluem o milho, soja, canola e beterraba sacarina, que são plantados em milhões de hectares nos Estados Unidos e outros paises como o Brasil anualmente. Agricultores gostam deles porque podem pulverizar Roundup para matar ervas daninhas. Roundup e pulverizado diretamente sobre as culturas em campos sem prejudicar as colheitas.

Roundup também é usado em gramados, jardins e campos de golfe.

Monsanto e outros líderes da indústria têm dito há anos que o glifosato é comprovadamente seguro e tem um menor impacto negativo sobre o meio ambiente do que outros produtos químicos comumente usados.

Jerry Steiner, vice-presidente executivo de sustentabilidade da Monsanto, reiterou esta opinião em uma entrevista recente ao ser questionado sobre o estudo.

“Estamos muito confiantes na longa trajetória que o glifosato tem. Foi muito, muito extensivamente estudado “, eu disse.

De acordo com a Agência de Proteção Ambiental (EPA), das mais de duas dezenas de herbicidas top no mercado, o glifosato é o mais popular. Em 2007, tanto quanto 185.000.000 libras de glifosato foi usado por agricultores norte-americanos, o dobro do montante utilizado há seis anos. De acordo com a Scielo Brasil, o pais sulamericano “é um dos líderes mundiais em consumo de agrotóxicos e os trabalhadores expostos são numerosos e diversificados.

As intoxicações agudas são a face mais visível do impacto destes produtos na saúde. A avaliação dos vários sistemas oficiais de informação que notificam os casos de intoxicações concluiu que nenhum deles responde adequadamente ao papel de sistema de vigilância.” No seu relatorio Intoxicação por agrotóxicos no Brasil: os sistemas oficiais de informação e desafios para realização de estudos epidemiológicos, o Brasil usa pelo menos 121.100 toneladas de agrotoxicos por ano ate 2004. Essa quantidade deixou um faturamento de 4,4 bilhões para as empresas produtoras dos herbicidas.

“Em 2009, o Brasil alcançou o primeiro lugar no ranking mundial de consumo de agrotóxicos, embora não seja o principal produtor agrícola mundial,” diz Larissa Mies Bombardi, professora do Programa de Pós Graduação em Geografia Humana na Universidade de São Paulo. Segundo Bombardi, as empresas produtoras de herbicidas tiveram uma receita líquida de cerca de 15 bilhões de reais em 2010.

Desses 15 bilhões, 92% cairam nos cofres de empresas estrangeiras: Syngenta (Suíça), Dupont (Estados Unidos), Dow Chemical (Estados Unidos), Bayer (Alemanha), Novartis (Suíça),
Basf (Alemanha) e Milenia (Holanda/Israel). Este numero não inclui os ganhos da Monsanto, o fabricante de Roundup.

Leia o relatorio completo intitulado INTOXICAÇÃO E MORTE POR AGROTÓXICOS NO BRASIL: A NOVA VERSÃO DO CAPITALISMO OLIGOPOLIZADO aqui.

Fonte:
Real Agenda

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Curta-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Assine os Feeds Entre em contato