background img

COMO VAI O BRASIL … ? !

Segundo ranking realizado pela Pearson Internacional (referido em matéria de O GLOBO), o Brasil ocupou, em uma lista de 40 países, a penúltima colocação – a despeito de constituir a sexta economia do Mundo -, estando à frente apenas da Indonésia. Tal ranking utiliza informações de resultados de três testes aplicados a alunos do 5º e do 9º ano do ensino fundamental. Os dados provém do PIAE (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes), do TEIMC/TIMSS (Tendências de Estudo Internacional de Matemática e Ciência) e do PEIA/PIRLS (Progresso no Estudo Internacional de Alfabetização). Tais índices abrangem resultados e habilidades matemáticas, científicas e de leitura.

Neste contexto, proliferam-se, nas escolas, demonstrações eróticas – quando não pornográficas – de funk, realizadas por menores de idade, agressões de alunos contra professores, brigas entre gangues e espancamentos realizados entre alunos. Ao mesmo tempo, noticiam-se, diariamente, fechamentos de escolas, redução em valores de investimentos na educação pública, acréscimo de violência no interior das escolas e no entorno, além de índices preocupantes no que toca aos resultados em aprendizagem. Infelizmente, as “novidades” acabam se restringindo ao lado negativo, não havendo melhorias, ainda que mínimas, no estado da educação pública. Infelizmente, poucos ainda podem entender esta situação, pois os índices de analfabetismo funcional, lamentavelmente, crescem e atingem níveis absurdos. Até quando perdurará esta situação?

Capital de Pernambuco é Belém?: Apostila para crianças tem erros crassos

No Rio de Janeiro, a Prefeitura entregou a 56.420 alunos do 5º ano do ensino fundamental materiais didáticos de matemática com erros crassos, indicando, por exemplo, que a capital de Pernambuco é Belém e da Paraíba é Manaus. Equívocos facilmente corrigindo por profissionais – ou até pessoas comuns – que entendem o mínimo de geografia, identificando que as capitais, na verdade, são Recife e João Pessoa, respectivamente.

Governo esconde 22 milhões de miseráveis maquiando estatísticas

Deixando de corrigir os valores pela inflação, passou-se a afirmar que não haveria mais miseráveis no Brasil. No entanto, segundo cálculo do IPCA, referido pela Folha de São Paulo, os preços subiram em média 10,8%., afetando a capacidade de consumo e subsistência. Porém, isto, curiosamente, não ocasionou um reajuste na definição do limite para a pobreza ou “linha de miséria” – iniciado, em 2011, em R$70,00 por pessoa.Isto é interessante quando se nota que Dilma definiu como promessa erradicar a miséria até o próximo ano, quando ocorrerão as eleições. Além disso, não faltam críticas quanto ao valor – já considerado baixo, mesmo caso fosse reajustado. De fato, pode-se imaginar os malabarismos necessários para que se sobreviva com pouco mais que R$1,00 por dia.criancalixao



Dilma Rousseff: a segunda mulher mais poderosa do mundodilma vira a rondonia

De acordo com o ranking lançado anualmente pela revista Forbes, a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, que ocupava a posição 95 no ranking de mulheres mais poderosas do mundo há três anos, agora é a segunda, ficando atrás apenas da chanceler alemã Angela Merkel, a qual ficou no topo da lista 8 vezes durante os 10 anos de existência do ranking. Dilma ocupou o segundo lugar após a saída de Hilary Clinton do posto de secretária de Estado americano, caindo para a quinta posição.

Indulto para presidiário mata: o absurdo da segurança pública brasileiramaeemae

Jair Alessandro Gomes Pereira, presidiário, foi liberado para comemorar a Páscoa, usando uma tornozeleira eletrônica para monitorar seus movimentos. Resultado da “saidinha”: um assassinato. E tem gente comemorando porque, graças à tornozeleira, foi possível provar o envolvimento do rapaz. Parece até que a notícia é boa. De fato, não é uma coisa ruim poder demonstrar que o rapaz participou do crime. Mas não custa perguntar: não seria melhor ter evitado o crime? Nunca ter deixado esse presidiário sair para comemorar a Páscoa?

Insatisfeita com o Bolsa Família: “Não dá nem para comprar uma calça de R$300,00 para minha filha

 Nos últimos dias, as redes sociais depararam-se com uma “reclamação” inusitada: entrevistada pelo Jornal da Cidade, Da TV Cidade de São Luís, reclamou do valor que recebia do Bolsa Família: apenas R$134,00. Segundo a mesma, com este valor ela não poderia nem mesmo comprar uma calça para sua filha de 16 anos, a qual custaria, hoje em dia, R$300,00. Tal declaração pode suscitar algumas reflexões: de que modo o dinheiro do Bolsa Família está sendo aplicado? Sua ênfase não era na educação? É justo que contribuintes que jamais pensaram em dispender valores de três dígitos para o vestuário concedam parcela de suas rendas para que outros, alegando estado de miséria, o façam?

Fonte: Surfando no Assude

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Curta-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Assine os Feeds Entre em contato