background img

Anúncio de Angelina Jolie está relacionado com a Myriad Genetics

Tradução: Caminho Alternativo

Talvez alguns tenham percebido a sincronicidade entre as notícias sobre a clonagem de um embrião humano com o anúncio de Angelina Jolie de que ia remover a mama como prevenção ao surgimento de um câncer.

Há muito tempo se sabe que esta bela atriz, filha (não reconhecida até a maioridade) do ator Jon Voight, que é um ativista da elite, a utiliza em campanhas de imagem da ONU, enquanto participa no perverso think tank do Council of Foreign Relations (CFR).

Angelina é nada menos que uma “Relações Públicas” dos Iluminati.

Há dois días, enquanto Obama enfrenta uma séria acusação de ter participado no ataque à embaixada USA em Bengasi, Líbia – Angelia Jolie consegue a primeira página da imprensa mundial ao anunciar que tinha removido as mamas porque uma corporação especializada em genética, após estudar sua árvore genealógica, decidiu que possui 87% de possibilidades de desenvolver câncer de mama!

Pois bem, demoramos um pouco em interpretar o verdadeiro significado desta decisão, e têm a ver com a outra notícia que aparecia no mesmo dia: o anúncio da clonagem do primeiro embrião humano coincide com uma pronta decisão do Supremo Tribunal norteamericano sobre a legalidade ou não de patentear genes humanos. De fato, o que está em litígio é se a corporação radicada em UTAH, a Myriad Genetics, pode patentear os genes ASSOCIADOS COM O CÂNCER DE MAMA E O DE OVÁRIOS: BRCA1 e BRCA2, respectivamente, que serviriam, segundo eles, para regenerá-los.

Acho que nem é necessário que seja explicado onde isto nos levaria, já que o mesmo ocorreu com as sementes transgênicas da Monsanto: em definitivo, as companhias acabariam conseguindo a propriedade do corpo humano, porque nos transformariam em seres transgênicos e eles teriam a propriedade da regeneração. Não é nada exagerado comparar isto com os aberrantes cartuchos de tinta de impressora: como a companhia possui as recargas, você terá de pagar por ela.

Mas é claro, é necessário “vender” esta aberração como se fosse um progresso que os “conservadores” te impedem de conseguir, e para isso está Angelina Jolie, óbviamente. Querem converter a patente dos genes num tema que afeta os “direitos das mulheres”, como antes fizeram com o aborto, e aqui entra o “efeito emocional Angelina Jolie”, que empatiza com os homens e com as mulheres.

Nada estranho o assunto Angelina Jolie aparecer no New York Times, as ações da Myriad Genetics, “proprietária desses genes” subiram 3%, mas durante a semana aumentaram 52%! Não por acaso, se calcula que esse mercado poderia significar 3 bilhões de dólares nos próximos anos porque os testes custam entre 3.000 e 4.000 dólares.


O assunto é que, segundo relata Mike Adams em Infowars, 87% do perigo que contaram à Jolie é uma estimativa manipulada, a partir de velhas estatísticas sobre uma população mal segmentada.

A “polícia pré-crime” de Minority Report aqui se converte num “pré-diagnóstico genético”: ou seja, te avisam antes de que adquira a doença, em base a suas próprias, e interessadas, estimativas.

Segundo o autor do referido artigo, a mutação do gene BRCA1 pode ocorrer a uma de cada 600 mulheres e é dessa porcentagem (0′125-0′25) que um 56% (e não 78%) as que podem desenvolver câncer.

As estatísticas estão, portanto, manipuladas!

No dia seguinte à publicação deste anúncio, Jolie anunciava que seria melhor também remover os ovários, justo o outro gene sobre o qual o Supremo Tribunal irá se pronunciar. Alguma dúvida?

Obs: Alguém quer apostar um jantar que as FEMEN de “topless reivindicatório” aparecerão em breve lutando pelas patentes dos genes?

Referencia:
CNBC

Fontes:
Rafapal , Caminho Alternativo

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Curta-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Assine os Feeds Entre em contato