background img

Indústria de leite comercial com o Marketing não quer que você saiba disto!


Leite cru é o leite no seu estado natural, sem tratamento com calor ou pasteurização e que são empregados para ampliar a vida do leite e para imobilizar certas bactérias; produzido por vacas saudáveis sem aplicação de hormônios para aumentar a carne e a produção de leite.

As pessoas devem saber que leite e bactérias podem coexistir. É normal o leite conter algumas bactérias e as sociedades humanas têm sido beneficiadas por estas bactérias por milhares de anos. Leites fermentados, por exemplo, têm valor nutritivo e digestibilidade. Hoje em dia estes produtos são anunciados como contendo “probióticos” como se isto fosse alguma nova marca.

As bactérias sempre estão presentes no leite natural. De fato, bactérias:
• São as formas de vida mais antigas da terra;
• Estão em todos os lugares;
• São essenciais para a sobrevivência humana; e
• Compreende mais do que 90% das células no corpo humano.

Obsessão pública de matar bactérias desvia os esforços para melhorar a saúde pública, são relativamente poucas as bactérias que são patogênicas. Pela constante esterilização, pasteurização e desinfecção, o equilíbrio está na verdade pendendo em favor dos patógenos.

É difícil chegar-se à verdade porque é gasto mais dinheiro com propaganda do que com pesquisa em leite devido ao alto interesse comercial ($$). Podemos nos educar e fazermos escolhas saudáveis sem a intervenção dos assim chamados “pseudos-especialistas”.

Se nós assim fizermos, veremos que o leite não pasteurizado, carregado de bactérias benéficas, é a nossa melhor escolha.

Hoje, os leites industralizados são puramente soros, e pior são adicionados o acido sulfúrico e água oxigenada para atingir o pH do leite cru. Em suma, somos enganados o tempo todo pela autoridades e profissionais da saúde que deveriam cuidar e alertar-nos dos riscos.

Agências Governamentais fazem-nos acreditar que se houver alguma bactéria em nosso leite ficaremos doentes!
Esta é o tipo de super-simplificação e de uma lógica incorreta de quem permitiu em primeiro lugar a proliferação do leite pasteurizado.

Na realidade, as bactérias estão no leite por uma razão, desde que venham de uma vaca saudável; as bactérias benéficas irão deixar as bactérias prejudiciais sobre controle em nossos intestinos e irão agir do mesmo modo dentro de seu corpo.

Existem propagandas maciças para fazer crer que “o leite industrializado faz bem ao corpo”; porém são muito tóxicos os laticínios homogeneizadas e pasteurizado. E, em termos simples, o leite de vaca é projetado para os bezerros e não seres humanos. Deste modo, para suportar o crescimento de um animal que, eventualmente, pesam cerca de 700 kg, o leite de vaca não tem mais de três vezes a quantidade de proteína (que é muito difícil de digerir) e 3 vezes a quantidade de cálcio.

O leite adequado para o Ser Humano é o materno!
Nos seres humanos, não é um processo natural que desmame ocorre entre 5 – 7 anos de idade, quando a enzima lactase que quebra a lactose, ou açúcar do leite, não é mais segregada. É basicamente um processo natural de desmame em todos os mamíferos, uma vez que a maioria dos mamíferos perdem a capacidade de digerir leite de sua mãe para se aventurarem por conta própria e encontrar sua própria fonte de alimentação. Na verdade, de acordo com um estudo feito na década de 70, a maioria dos humanos adultos do mundo são intolerantes à lactose.

Se você estiver em um processo de cura de câncer de mama ou quer prevenir o câncer de mama evite tomar leite ou usar produtos lácteos; existem muitos indícios poderosos e razões para não fazê-lo.
1. Hormônios de crescimento bovinos
Os hormônios são injetados nas vacas leiteiras para aumentar a sua produção de leite e carne, aumentando o nível de um fator de crescimento da insulina (IGF-1). Há muitas evidências de que isso pode aumentar o potencial para o câncer de mama; devido ao fator crítico IGF-1 possibilita o crescimento de células para células cancerosas.

2. Resíduos tóxicos
Um estudo do Food Drugs Adminstration (FDA – USA) de 1988; as amostras de leite de supermercados em 10 cidades descobriram que 73 por cento das amostras continham resíduos de pesticidas e substâncias tóxicas cancerígenas.

3. Dioxina
Em 2000, Steve Milloy, autor de JunkScience.com e Dr. Michael Gough testaram uma amostra de sorvete Ben & Jerry Ice famoso Vanilla. Surpreendentemente, o nível de dioxinas em uma única porção do sorvete era 2000 vezes maior do que a dose determinada pela Environmental Protection Agency (EPA – USA) como segura.

Na verdade, a dioxina é um dos produtos químicos mais tóxicos do planeta e, de acordo com a EPA, não há um nível “seguro”. As dioxinas são produzidas como um resultado dos muitos usos de cloro industrial e flúor, tais como a incineração de resíduos, os pesticidas e de branqueamento de pasta e papel. Segundo a OMS, “dioxinas interferem com hormônios e causam câncer”.

4. Pasteurização
Pasteurização consiste em aquecer o leite a altas temperaturas, a fim de matar as bactérias nocivas. No entanto, também destrói as enzimas e muitas das vitaminas, e desnatura a proteína, o que faz com que seja ainda mais difícil de digerir.

Assim, a próxima vez que ouvirmos alguém falar sobre os méritos da pasteurização, poderemos dizer-lhe o que segue:Em seu leito de morte, Louis Pasteur (Pai da Pasterização) admitiu que sua teoria não estava inteiramente correta. Em vez disso, ele considerou o que fisiologista Claude Bernard (que divergia dos conceitos de Louis Pasteur) havia deduzido estava correto; ou seja, considerava que organismos já existentes no corpo provocavam a doença quando o organismo se desequilibrava. Bernard disse que os micróbios sim existem, mas o “terreno é tudo”; o terreno é nosso organismo. Louis Pasteur nasceu há mais de 100 anos continuamos com os conceitos errados.

É irônico que Louis Pasteur (27/12/1822 a 28/09/1895), a eminência parda deatrás do processo de “pasteurização”, seja reverenciado pelos cientistas como pelos fabricantes de alimentos. Como McAfee aponta a pasteurização é útil se precisamos beber leite de baixa qualidade; isto é cheio de doenças.

5. Homogeneização
Homogeneização envolve forçar leite através de um filtro fino com alta pressão e a alta velocidade. Esta quebra as partículas de gordura do leite e os impede de flutuar para o topo. Quando o leite é homogeneizado, cria-se o fator de “XO”.

XO representa a enzima xantina oxidase, que é libertado quando os glóbulos de gordura são comprimidos durante o processo de homogeneização. Mais de 40 anos atrás, estudos científicos começaram a notar a ligação entre XO e aterosclerose, artrite, diabetes, câncer e várias outras doenças degenerativas.

6. Câncer
Um estudo publicado no Journal of Clinical Oncology reconheceu que o leite e os derivados lácteos podem aumentar o risco de câncer de próstata e outros tipos de câncer.

A melhor fonte de cálcio
Os bebês crescem muito rapidamente. Isto conduz à hipótese de que o leite é responsável. No entanto, quando se considera que uma vaca, ou qualquer grande herbívoro, atinge a maturidade física sobre 16 vezes mais rápido que um ser humano, com os ossos que são três a quatro vezes maior, então há que se questionar este pressuposto.

As vacas comem grama e outras plantas, tanto em nível de solo e de arbustos. Com livre acesso, vagueiam e comem de acordo com o que elas precisam. Isso, então, nos dá uma pista sobre o alimento responsável para o crescimento ósseo forte.
Vegetais de folhas verdes
Vegetais são uma poderosa fonte de nutrientes, incluindo todos os macro minerais, oligoelementos, aminoácidos, ômega 3 e mais. Vegetais são a melhor fonte de minerais macros como cálcio e magnésio, responsáveis pelo crescimento ósseo bom.
Você só precisa olhar como as partes do corpo de um ser humano a perceber que, apesar de um onívoro, os humanos são muito mais perto de herbívoros do que carnívoros.

• Os dentes humanos são sem corte, semelhante à de um herbívoro;

• Unhas humanas são cegas, o que torna impossível de agarrar uma presa, como só um pode garras carnívoros;

• O perfil de rosto humano é reto, o que torna impossível a ter uma presa – apenas uma mandíbula estendida pode alcançar;

• Os intestinos humanos são longos como alimento planta leva mais tempo para digerir do que a carne crua;

• Saliva humana contém ptialina, comum a todos os herbívoros, mas ausente em saliva carnivora;
• O ácido do estômago dos carnívoros é muito mais forte do que a dos herbívoros – ácido do estômago humano é semelhante à dos herbívoros;

• Carnívoros transpiram através de suas patas e ofegante – herbívoros transpira pelos poros da pele;
• Isto significa que a saúde humana se sairá melhor com uma dieta que é semelhante ao de um herbívoro.

Leite processado causa doenças
A prática comum de pasteurização e homogeneização do leite é a causa de muitas doenças, de acordo com um número crescente de terapeutas de saúde. O leite é pasteurizado, num esforço para evitar a disseminação da tuberculose. No entanto, em um estudo onde 70 crianças receberam um litro de leite cru todos os dias durante um período de cinco anos, apenas um caso resultou. Em um estudo semelhante envolvendo leite pasteurizado, 14 casos resultaram.

Dr. Kurt Osler é cardiologista em Connecticut. Ele foi pesquisou os efeitos do leite homogeneizado por mais de 20 anos. As suas descobertas indicam que o leite homogeneizado é responsável por níveis elevados de colesterol. Dr. William Ellis, um osteopata, linkou o leite de vaca para muitas doenças em crianças e adultos, tais como fadiga crônica, anemia, artrite, dores, obesidade, alergias e problemas cardíacos. Dr. Frank Oski, um pediatra, cita leite de vaca como estando associada à anemia ferropriva, cólicas, diarréia, múltiplas formas de aterosclerose, alergia e ataques cardíacos.

Se o leite era uma fonte tão grande de cálcio para o organismo, em seguida, a osteoporose deve ser mínima em países que consomem mais laticínios. Ao contrário, é o oposto.
Leite materno é para os bebês
É a melhor fonte de alimento para um bebê em crescimento. No entanto, leite materno não é somente único mais adequado ao bebê, somente a sua espécie produz o alimento mais adequado para o bebê. As espécies diferem amplamente. Por exemplo, as vacas atingem a maturidade física em um único ano. Humanos assumem, na casa dos 16 anos que atingem a maturidade física. Isto significa que os componentes do leite devem ser diferentes de acordo com as necessidades das espécies; a relação de cálcio / proteína varia de acordo com a necessidade de cada espécie.

Uma vez que um bebê é desmamado, ocorrem as mudanças no ambiente do estômago. O leite materno é um alimento de fácil digestão; por sua vez, os alimentos são mais dificieis de serem digeridos. A necessidade de se digerir o leite vai diminuindo gradualmente até se tornar indigesto; por isso que a intolerância à lactose é abundante.

A verdade está começando aparecer sobre cuidado com a alimentação e a saúde, o mito do leite é merecedor de um olhar mais atento. O público em geral tem tido uma lavagem cerebral pelo Marketing para pensar que o leite e os produtos lácteos são a fonte (e única) final de cálcio e não apenas para as crianças em crescimento. No entanto, é também uma fonte de doença.

Hoje, o leite contém cerca de 60 hormônios, vários alérgenos, gordura, colesterol e tem uma possível ligação com ligar e desligar os genes do câncer. A maioria das pessoas foram ensinandas que devemos beber leite para ossos fortes e saudáveis, mas, inúmeros outros alimentos contêm mais elevados, hormônio sem nutrientes, como folhas verdes escuras, principalmente espinafre, brócolis, salmão selvagem capturado, amêndoa e leite de coco.

Fontes vegetais base de vitamina D e cálcio pode ser absorvida muito mais fácil do que animais fontes de base, e são muito mais saudáveis para você. Fatias de queijo simples servem são excessivamente processados, ricos em sódio, e não uma fonte significativa de cálcio.

Iogurte aromatizado normalmente contém uma longa lista de ingredientes, incluindo o produto químico tóxico, aspartame. A maioria das pessoas se concentrar na importância dessas duas vitaminas, mas o magnésio também é extremamente importante e necessário para a saúde óssea adequada, e que a maioria das pessoas estão deficientes.

A soja não é a resposta
Muitas pessoas acreditam que o leite de soja é uma alternativa saudável ao leite de vaca, mas não é, de fato, especialmente, para as mulheres. O leite de soja imita estrogênio no corpo das mulheres; predominância estrogênica pode levar a aumento do risco de desenvolver câncer de mama, miomas, endometriose e baixa libido. A função da tireóide também é suprimida por produtos de soja.

Independentemente se o leite é cru ou orgânico, este alimento é uma que eu iria usar apenas muito moderadamente. Todos os outros produtos lácteos homogeneizados e pasteurizados devem ser evitado, a fim de “fazer o seu corpo bom”.“Se formos beber leite, que ele seja seguro e saudável como ele deve ser”.

Fontes: 
http://xgerms.wordpress.com/2012/08/24/publicidade-sobre-o-leite-esta-enganando-o-publico-em-geral/
http://www.naturalhealth365.com/food/milk-advertising.html

http://www.naturalnews.com/036932_milk_myths_strong_bones.html

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Curta-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Assine os Feeds Entre em contato