background img

Crise na Espanha vai piorar mesmo com socorro, diz líder espanhol

A crise econômica da Espanha ficará ainda pior, apesar do pedido do país de uma ajuda financeira, feito à Europa, de até 100 bilhões de euros para salvar seus bancos, afirmou o primeiro ministro, Mariano Rajoy, neste domingo.

A Espanha permanecerá presa em sua segunda recessão em três anos, e mais espanhóis irão perder seus empregos em um país onde uma em cada quatro pessoas já está desempregada, disse Rajoy, um dia depois do país se tornar o quarto e maior dos 17 que formam a zona do euro a pedir ajuda financeira do bloco econômico. "Este ano será muito ruim: o crescimento será negativo em 1,7% e o desemprego irá crescer", disse ele.

A Espanha irá reconquistar a credibilidade econômica que perdeu através da sustentação de seus bancos, o que resultará na restauração do crédito para que os negócios e os cidadãos que foram afetados por empréstimos possam voltar a emprestar e a economia voltar a crescer, disse o primeiro ministro. Mas Rajoy não explicou como isso vai ocorrer.

O primeiro ministro insistiu que o resgate econômico irá ajudar a restaurar a credibilidade da zona do euro, que continua abalada mais de dois anos depois do início da crise financeira.

A expansão da recessão e crise financeira da Europa afetou empresas e investidores em todo o mundo. Ao prover os bancos espanhóis com recursos para voltar a operar, a economia espanhola, que é cinco vezes maior que a da Grécia, poderá reduzir a ansiedade dos mercados de como o país voltará a construir seu caminho fora da crise.

Outro grande teste para a Europa acontece na próxima semana quando a Grécia realiza eleições que irá determinar se ela deixará a zona do euro. Os líderes europeus dizem que foi crucial para a Espanha ter pedido ajuda para seus bancos antes da eleição grega de 17 de junho.

Rajoy recusou-se repetidamente a chamar o pacote de salvamento de "resgate", dizendo que é uma "linha de crédito", diferente dos resgates pedidos pela Grécia, Irlanda e Portugal porque a ajuda concedida a estes países incluiu o controle externo sobre as finanças públicas destes países, o que não ocorre na Espanha.

O primeiro ministro culpa a administração socialista anterior, de Jose Luis Rodriguez Zapatero, pela crise na Espanha, mas não citou-o pelo nome. Zapatero saiu do governo nas eleições de novembro com os eleitores demonstrando na urna que não aprovaram a forma como os socialistas lidaram com a economia. "No ano passado, a administração pública espanhola gastou 90 bilhões de euros a mais do que arrecadou, o que não pode continuar", disse Rajoy.

Fonte:
http://ianoticia.blogspot.com.br/2012/06/crise-na-espanha-vai-piorar-mesmo-com.html

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Curta-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Assine os Feeds Entre em contato