background img

Mulher recebe ameaça depois de se opor a Monsanto

Depois de perder uma filha de 3 dias de idade de insuficiência renal, uma mulher chamada Sofia Gatica, da Argentina tomou a decisão de liderar um movimento anti-Monsanto com outras mães de crianças doentes.

Monsanto é uma empresa de biotecnologia de agroquímicos, que está poluindo o meio ambiente e a saúde humana com herbicidas, pesticidas, alimentos geneticamente modificados e outras substâncias ao longo de décadas.

Muitos casos têm sido interposto contra a Monsanto por danos biológicos e até mesmo a morte - como é o caso recente em que os agricultores dizem que a gigante de biotecnologia gerou "defeitos congênitos devastadores ".

Perto de onde vive Gatica, há campos de soja onde são pulverizados os produtos químicos nas lavouras.

O assassino de erva daninha primária utilizada nos campos é a Roundup, o herbicida mais utilizado pelos agricultores que contém o ingrediente ativo glifosato.

Gatica inicialmente não ligou a exposição das substâncias químicas com a morte de seu bebê até que ela percebeu que muitos de seus amigos e vizinhos também tiveram problemas de saúde.

"Eu comecei a ver as crianças com tampas na boca, mães com lenços enrolados em torno de suas cabeças para cobrir sua calvície, devido à quimioterapia ... Há soja ao norte, ao sul e ao leste, e quando eles pulverizam a plantação,o veneno se espalham ao longo das pessoas, porque não há distância ", disse Gatica a um repórter da munição.
Na verdade, os pesquisadores descobriram que as pessoas em sua área tinha de três a quatro produtos químicos agrícolas no sangue, incluindo um químico, endosulfan, que é proibido em mais de 80 países.

Os pesquisadores também descobriram que 33 por cento dos moradores estavam com câncer. Em outra pesquisa, foi identificada que,o Roundup estava presente em todas as amostras de urina testadas em uma quantidade de 5 a 20 vezes acima do limite estabelecido para água potável

Em retaliação a Monsanto e suas criações químicas altamente utilizadas, Gatica trabalhou para criar um movimento internacional contra a Monsanto com outros ativistas. Alguns anos atrás, depois de co-fundar um grupo chamado Mães de Ituzaingó, ela e seu grupo iniciou o primeiro estudo epidemiológico da região que encontraram taxas elevadas de doença neurológica e respiratória, defeitos congênitos, mortalidade infantil e taxas de câncer de mais de 40 vezes a média nacional.

Ela então continuou a encontrar os pesquisadores e estudar as ligações entre pesticidas, herbicidas, e problemas de saúde, enquanto se envolve em protestos expressando preocupações sobre os problemas.
"Nós queremos o fim das máquinas pulverizadoras. Gostaríamos de entrar nos campos e pará-las. Foi realizado protestos no Ministério da Agricultura e Ministério da Saúde. Nós chegamos até a levar pessoas doentes para o ministério verificar", disse ela.
Ao longo de poucos anos, zonas de amortecimento obrigatórias entre a pulverização da aérea e bairros foram colocadas graças ao movimento ativista. Além disso, o Supremo Tribunal da Argentina decidiu que os agroquímicos não poderia ser pulverizado perto de área onde mora a comunidade.
No entanto, enquanto Gatica e outros ativistas conseguira com sucesso a mudança, o processo não foi necessariamente fácil. Na verdade, houve até ameaças diretas.
"Alguém entrou dentro da minha casa com uma arma. Foi-me dito para não "brincar com a soja." Recebi chamadas de telefone onde eu foi dito que eu só teria dois filhos no dia seguinte ", disse ela. "Chamei a polícia para investigar isso, mas me disseram que o arquivo era segredo", acrescentou ela após ser questionada sobre se já descobriram quem fez os ataques pessoais.
Curiosamente na pesquisa anterior descobriu-se que o herbicida mais vendido pela Monsanto o Roundup apresenta toxicidade direta às células humanas, mesmo em doses baixas podem até matá-las. A toxicidade e impacto negativo sobre as crianças é ainda maior, e é mais prejudicial para crianças ou bebês em gestação. Embora Gatica Mesmo diretamente ameaçada, subiu acima destas complicações fez a mudança acontecer - ela não será a última.

Texto traduzido  do inglês


Fonte:
http://naturalsociety.com/woman-receives-anonymous-threats-opposing-monsanto/



0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Curta-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Assine os Feeds Entre em contato